uma freguesia bonita. Vem explorar!
Sábado, 20 de Janeiro de 2007
O Parque Paleozóico
  Sabias que tenho um parque Paleozóico?

  É uma reserva natural, onde estamos constantemente em contacto com a natureza.

  Consulta o site para saberes mais!:

http:// www.paleozoicovalongo.com /


  Lá, podes aprender muitas coisas giras, nomeadamente, a minha história geológica. Aqui ficam alguns factos importantes sobre esta matéria:

  Sabias por exemplo, que, há cerca de 570 milhões de anos eu me encontrava submerso?  E que a água começou a recuar mais ou menos há 500 milhões de anos? E que foi a acção dos agentes erosivos que fiquei com uma superfície mais ou menos plana?
  Também se sabe que houve vários avanços e recuos das águas depois disso, à medida que a flora e fauna ia aparecendo.

  Sabe-se isto tudo a partir dos vestígios da natureza - os fósseis - os quais se podem encontrar, depois de um olhar atento, em abundância neste parque, que abrange as serras de Pias e Santa Justa.

  Bom, até depois!



publicado por Vallis Longus às 07:54
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sexta-feira, 19 de Janeiro de 2007
Os escuteios
  Olá, vou falar-te sobre os escuteiros, hoje:

  Eu tenho um agrupamento de escuteiros, tal como Campo, Alfena e Ermesinde. Sobrado é a única freguesia do nosso concelho que não tem um, mas está previsto haver lá um agrupamento durante o ano 2007.

  Bem... bem... talvez não saibas muito bem o que eram escuteiros e... hum... pronto, pronto! Eu digo :

  O escutismo é uma actividade católica e recreativa , que atrai há bastante tempo inúmeras crianças e jovens, que aprendem a crescer em grupo, colaborar com os outros e crescer de uma forma diferente .


 


publicado por Vallis Longus às 07:26
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 16 de Janeiro de 2007
Ardósia, lousa ou xisto
  Olá outra vez! Hoje vou falar da ardósia (também chamada lousa ou xisto). O que isso?  Perguntas bem!

  A ardósia  é de origem argilosa e começou por ser lama, embora agora seja uma das mais duras rochas que se conhece. Tem escamas orientadas paralelamente umas às outras, ou seja: é formada por várias placas muito finas que estão todas paralelas e que se podem dividir facilmente . A este acontecimento, damos o nome de clivagem. Assim, a ardósia passou a ser muito  utilizada na cobertura de edifícios.

  A ardósia é uma rocha nua, de aparência homogénea , só sendo possível distinguir os seus minerais com o auxílio do microscópio. Pode ou não apresentar fósseis. Esta rocha absorve apenas 1% do seu peso em humidade e não se altera em contacto com os ácidos. A ardósia é geralmente preta ou cinzenta escura, devido à presença de uma matéria carbonosas ou de um mineral - grafitty .

  Já sabes por alto o que é a ardósia. Para a próxima, vou falar-te da exploração desta rocha.

 


 


publicado por Vallis Longus às 19:45
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Segunda-feira, 15 de Janeiro de 2007
A vida dos mineiros
  Como sabes, a vida de um mineiro era muito difícil, pobre e perigosa. Vais agora conhece-los um pouco melhor...

  Alguns mineiros começavam a trabalhar nas minas por volta dos 15 anos (às vezes até mais novos), pois não tinham dinheiro e deixavam a escola para trabalhar.
  Os mineiros recebiam cerca de 17$20 por dia, o que hoje equivale a 0.8€ por dia (por isso, ao fim de um mês ganhavam mais ou menos 24€ - muito pouco).
  Muitos dos mineiros morriam por causa do pó que os impossibilitava de respirar. Ainda hoje, alguns mineiros têm cicatrizes por causa dos acidentes ocorridos nas minas.
  Muitos mineiros nunca esqueceram a frase "O que é um mineiro? É o único homem que luta pela vida com os pés na cova."

  Realmente os mineiros tinham uma vida muito dura... Por falar nisso... Estou-me a lembrar de que em 1888, um mineiro chamado Joaqim Chiquita elaborou a "Dança dos Mineiros". Este homem foi vítima de vários acidentes, que serviram de inspiração para compor esta música, que retrata a triste vida dos mineiros. É mais ou menos assim:

    Desgraçado mineiro
    Que anda debaixo do chão
    Acontece uma desgraça
    Lá morre sem confissão
    Ai...!

    Desde à mina o desgraçado
    Ahi fica a trabalhar
    Andando na escuridão
    Sem luz, dia nem ar
    Ai...!

    O trabalho todo ccusta
    Mas o nosso muito mais
    Quantos vão e não voltam
    Não tornam a ver seus paes
    Ai...!

    A nossa vida é negra e dura
    Entre p'rigos o viver
    Em vida na sepultura
    Com o suor a escorre
    Ai...!

  Encontras-te algumas palavras, por certo, tuas desconhecidas. Era assim que se escrevia na época.

 
   


publicado por Vallis Longus às 09:14
link do post | comentar | favorito

Domingo, 14 de Janeiro de 2007
Tradição a perder-se
  Aqui, a ardósia é uma matéria prima tradicional. Visto que a sua produção está mais virada para a produção industrial, corre-se o risco de perdermos a tradição da exploração da lousa, nas técnicas artesanais.

  Mas, eu tenho uma escola que continua a manter umas oficinas de ardósia, onde se continua a trabalhar esta rocha artesanalmente. E olha que é a única em todo o país!

  Bom, vemo-nos por aí.




publicado por Vallis Longus às 09:28
link do post | comentar | favorito

Extracção da ardósia
  Por certo já ouviste falar de «extracção». Extrair é como que tirar. E agora se eu te disser «Exploração Industrial da Ardósia»? Exploração é tirar... ardósia é uma rocha... industrial é ara a industria. Para vender. Então hoje vou falar disso mesmo:

  A extracção industrial da ardósia aqui, começou em  1865.
  Antes, os mineiros trabalhavam nas minas, com muitas más condições. Para separar a lousa do resto da rocha sem interesse , esses homens usavam diversos utensílios, nomeada mente o Picão, a Cunha e a Palmeta.

  Actualmente, a ardósia é extraída da pedreira (poço a céu aberto) que, depois de muito bem inspeccionada, é seleccionada e encaminhada para os sectores de pedra clivada, serrada e amaciada.

  Os produtos exportados eram principalmente soletos (ardósias para telhados), pedras polidas, pedras para bilhares, quadros escolares, etc..
  Todo o trabalho de extracção e transformação era feito com máquinas a vapor.
 

  Interessante. A ardósia pode servir para tantas coisas... Ouviste falar aqui dos mineiros, não foi? Na próxima vez que falar-mos, vou falar-te um pouco deles.

 
 


publicado por Vallis Longus às 08:49
link do post | comentar | favorito

Sábado, 13 de Janeiro de 2007
A minha lenda
Olá pessoal!  Como toda a freguesia que se preze, hoje resolvi falar-vos sobre a minha lenda. Bom... não é bem minha lenda... Pronto, pronto, é mina e do meu irmão... Mas vou contá-la na mesma (e cá entre nós, é a melhor de todas... he he he ). É mais ou menos assim:

     Conta a lenda...

                                    Há muito tempo, quando  os cristão eram perseguidos pelos pagãos do oriente, chegou a Cale um  grupo, do qual fazia parte Samuel, um rico comerciante que tinha uma filha muito bela - Susana.  Naquele sítio, não esperavam ser atacados, e o grupo vivia em paz.  Mas  foram apanhados  de  surpresa pelos  árabes.  Quase em  desespero,  tentaram  utilizar  (além  da  coragem, claro), esperteza.
                                   Prepararam uma armadilha e caiu nela um homem chamado Domus . Enquanto árabes e cristãos tentavam negociar a paz em troca do jovem, Domus e Susana apaixonaram-se perdidamente . Domuns queria ser baptizado para poder casar com a rapariga, mas tal era impossível e decidiram ambos fugir, deixando Portucale . A certa altura, depararam-se com uma serra (hoje chamada Santa Justa), que escalaram até  ao topo.
                                  - Que vale tão longo...! - exclamou Susana, maravilhada.
                                  Decidiram  ficar para sempre lá e o vale que Susana achara tão longo ficou para sempre Valongo.

 
Diz lá se não é bonito!

  Bom, até lááá !!


publicado por Vallis Longus às 14:13
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quarta-feira, 10 de Janeiro de 2007
Um irmão mais novo, mas igualmente belo! ;-)
  Hei! Sou o Valongo, irmão mais novo de Valongo !

  Lá por ser irmão mais novo, não quer dizer que tenha menos para ver, quer dizer. Vá lá, ele é maior e tudo isso, mas eu também tenho muitas coisas bonitas. Paisagens, artesanato... Imensas coisas. Vem visitar!




publicado por Vallis Longus às 15:17
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Janeiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12

17
18

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

O Parque Paleozóico

Os escuteios

Ardósia, lousa ou xisto

A vida dos mineiros

Tradição a perder-se

Extracção da ardósia

A minha lenda

Um irmão mais novo, mas i...

arquivos

Janeiro 2007

links
blogs SAPO
subscrever feeds